segunda-feira, 3 de abril de 2017

I will establish my covenant with you, and you shall know that I am the Lord!

The Lord’s Faithless Bride
16 Again the word of the Lord came to me: 2 b“Son of man, cmake known to Jerusalem her abominations, 3 and say, Thus says the Lord God to Jerusalem: Your origin and your birth are of the land of the Canaanites; your father was an dAmorite and your mother a eHittite. 4 And as for your birth, fon the day you were born your cord was not cut, nor were you washed with water to cleanse you, nor rubbed with salt, nor wrapped in swaddling cloths. 5 No eye pitied you, to do any of these things to you out of compassion for you, gbut you were cast out on the open field, for you were abhorred, fon the day that you were born.
6 “And when I passed by you and saw you wallowing hin your blood, I said to you hin your blood, ‘Live!’ I said to you hin your blood, ‘Live!’ 7 iI made you flourish like a plant of the field. And you grew up and became tall jand arrived at full adornment. Your breasts were formed, and your hair had grown; yet kyou were naked and bare.
8 “When I passed by you again and saw you, behold, you were at the age for love, and lI spread the corner of my garment over you and covered your nakedness; I made my vow to you mand entered into a covenant with you, declares the Lord God, nand you became mine. 9 Then I bathed you with water and washed off your blood from you and oanointed you with oil. 10 pI clothed you also with embroidered cloth and shod you with fine leather. I wrapped you in fine linen and covered you with silk.1 11 qAnd I adorned you with ornaments and rput bracelets on your wrists and a chain on your neck. 12 And I put a ring on your nose and earrings in your ears and a beautiful crown on your head. 13 Thus you were adorned with gold and silver, and your clothing was of fine linen and silk and embroidered cloth. sYou ate fine flour and honey and oil. tYou grew exceedingly beautiful and advanced to royalty. 14 And uyour renown went forth among the nations because of your beauty, for it was perfect through the splendor that I had bestowed on you, declares the Lord God.
15 v“But you trusted in your beauty wand played the whore2 because of your renown xand lavished your whorings3 on any passerby; your beauty4 became his. 16 You took some of your garments and made for yourself colorful shrines, and on them played the whore. The like has never been, nor ever shall be.5 17 You also took yyour beautiful jewels of my gold and of my silver, which I had given you, and zmade for yourself images of men, and with them played the whore. 18 And you took your embroidered garments to cover them, aand set my oil and my incense before them. 19 bAlso my bread that I gave you—sI fed you with fine flour and oil and honey—you set before them for ca pleasing aroma; and so it was, declares the Lord God. 20 dAnd you took your sons and your daughters, whom you had borne to me, and ethese you sacrificed to them to be devoured. Were your whorings so small a matter 21 that you slaughtered my children and delivered them up as an offering by fire to them? 22 And in all your abominations and your whorings you did not remember fthe days of your youth, gwhen you were naked and bare, wallowing in your blood.
23 “And after all your wickedness (woe, woe to you! declares the Lord God), 24 you built yourself ha vaulted chamber and made yourself a lofty place in every square. 25 At the head of every street iyou built your lofty place and made jyour beauty an abomination, koffering yourself6 to any passerby and multiplying your whoring. 26 wYou also played the whore lwith the Egyptians, your lustful neighbors, mmultiplying your whoring, nto provoke me to anger. 27 Behold, therefore, I stretched out my hand against you oand diminished your allotted portion pand delivered you to the greed of your enemies, qthe daughters of the Philistines, who were ashamed of your lewd behavior. 28 wYou played the whore also rwith the Assyrians, because you were not satisfied; yes, you played the whore with them, and still you were not satisfied. 29 You multiplied your whoring also with the trading land tof Chaldea, and even with this you were not satisfied.
30 “How sick is your heart,7 declares the Lord God, because you did all these things, the deeds of a brazen prostitute, 31 building your vaulted chamber at the head of every street, and making your lofty place in every square. Yet you were not like a prostitute, ubecause you scorned payment. 32 Adulterous wife, who receives strangers instead of her husband! 33 Men give gifts to all prostitutes, vbut you gave your gifts to all your lovers, bribing them to come to you from every side with your whorings. 34 So you were different from other women in your whorings. No one solicited you to play the whore, and vyou gave payment, while no payment was given to you; therefore you were different.
35 “Therefore, O prostitute, hear the word of the Lord: 36 Thus says the Lord God, Because your lust was poured out and your nakedness uncovered in your whorings with your lovers, and with all your abominable idols, wand because of the blood of your children that you gave to them, 37 therefore, behold, xI will gather all your lovers with whom you took pleasure, all those you loved and yall those you hated. zI will gather them against you from every side aand will uncover your nakedness to them, that bthey may see all your nakedness. 38 cAnd I will judge you das women who commit adultery and eshed blood are judged, and bring upon you the blood of wrath and jealousy. 39 And I will give you into their hands, and they shall throw down your fvaulted chamber and break down gyour lofty places. hThey shall strip you of your clothes and take iyour beautiful jewels and leave you jnaked and bare. 40 kThey shall bring up a crowd against you, land they shall stone you and cut you to pieces with their swords. 41 lAnd they shall mburn your houses and nexecute judgments upon you in the sight of many women. oI will make you stop playing the whore, and pyou shall also give payment no more. 42 qSo will I satisfy my wrath on you, and my jealousy shall depart from you. I will be calm and will no more be angry. 43 Because you have not remembered rthe days of your youth, but have enraged me with all these things, therefore, behold, sI have returned your deeds upon your head, declares the Lord God. Have you not tcommitted lewdness in addition to all your abominations?
44 “Behold, everyone uwho uses proverbs will use this proverb about you: ‘Like mother, like daughter.’ 45 You are the daughter of your mother, who loathed her husband and her children; and you are the sister of vyour sisters, who loathed their husbands and their children. wYour mother was a Hittite and wyour father an Amorite. 46 And xyour elder sister is Samaria, who lived with her daughters to the north of you; and yyour younger sister, who lived to the south of you, is Sodom with her daughters. 47 zNot only did you walk in their ways and do according to their abominations; within a very little time ayou were more corrupt than they in all your ways. 48 bAs I live, declares the Lord God, your sister cSodom and her daughters have not done as you and your daughters have done. 49 Behold, this was the guilt of your sister Sodom: she and her daughters had pride, dexcess of food, and prosperous ease, but did not aid the poor and needy. 50 They were haughty and edid an abomination before me. So fI removed them, when I saw it. 51 gSamaria has not committed half your sins. You have committed more abominations than they, and hhave made your sisters appear righteous by all the abominations that you have committed. 52 iBear your disgrace, you also, for you have intervened on behalf of your sisters. Because of your sins in which you acted more abominably than they, they are more in the right than you. So be ashamed, you also, and bear your disgrace, for you have made your sisters appear righteous.
53 j“I will restore their fortunes, both the fortunes of Sodom and her daughters, and the fortunes of Samaria and her daughters, and I will restore your own fortunes in their midst, 54 that you may bear your disgrace kand be ashamed of all that you have done, lbecoming a consolation to them. 55 As for your sisters, Sodom and her daughters shall return to their former state, jand Samaria and her daughters shall return mto their former state, jand you and your daughters shall return mto your former state. 56 Was not your sister Sodom a byword in your mouth nin the day of your pride, 57 before your wickedness was uncovered? Now you have become oan object of reproach for the daughters of Syria8 and all those around her, and for pthe daughters of the Philistines, qthose all around who despise you. 58 rYou bear the penalty of your lewdness and your abominations, declares the Lord.
The Lord’s Everlasting Covenant
59 “For thus says the Lord God: I will deal with you as you have done, you swho have despised the oath in breaking the covenant, 60 yet tI will remember my covenant with you uin the days of your youth, vand I will establish for you an everlasting covenant. 61 wThen you will remember your ways xand be ashamed when you take yyour sisters, both your elder and your younger, and I give them to you zas daughters, but not on account of9 the covenant with you. 62 I will establish my covenant with you, and you shall know that I am the Lord, 63 that you may remember and be confounded, and bnever open your mouth again because of your shame, when I atone for you for all that you have done, declares the Lord God.”

Devotional Commentary:

In this chapter we have the longest single allegory of the entire Bible. Prostitution (harlotry) is the most frequent metaphor in the allegory, and by it Jerusalem’s unfaithfulness to the Lord is compared to a prostitute’s immorality. We have seen prophets using a lot of similes and metaphors, but this one had to have angered the audience. Ezekiel points to Jerusalem as a prostitute.  A recurring image of Israel going after other gods in the Old Testament is that of a prostitute – spiritually speaking.  He used words like whore, whoredom, fornication, and harlot many times in this chapter to describe Judah’s lack of faithfulness to God.  And what was the point?  That the inhabitants of Jerusalem were more wicked than a prostitute because of their infidelity in serving the one true God.  Israel’s story, narrated in the figurative tale of a girl born and growing to maturity, is recounted to make the point about Israel’s offenses.

This baby girl was not born into a normal caring family. Cutting the navel cord, washing with water, rubbing with salt, wrapping with cloths—these were practices of Palestinian midwives and have been observed among modern Arab peasants. After making His covenant, the Lord transformed Israel from a marginalized existence (bathed, clothed, adorned, 16:9–11) to a regal estate, fit to be a queen (16:13). Jerusalem’s fame spread among the nations, which points to the splendid reign of Israel at the time of Solomon.
Amazingly, in spite of Jerusalem’s long history of evil, the allegory makes it clear that God will not reject her forever. Her captivity will end and God will honor His promise of old to reestablish His covenant with her, make her pure as well as secure, and elevate her above such well-known cities as Samaria and Sodom. Israel will be forgiven and righteous again. The allegory is not literal and therefore does not intend to indicate that other cities would become great cities again. Instead it points to the fact that in addition to the restoration of Jerusalem, God will one day forgive many other people their sins, and that He will eventually establish an existence where righteousness prevails and rebellion against Him is no more
It is encouraging to realize that we are already in that “everlasting covenant” if we are in Christ. Our future home is the New Jerusalem, which we will inhabit joyfully in fulfillment of this promise of faithfulness on God’s part. It will have in it none of the abominations of old—none of the arrogance, materialism, idolatry, etc.—that caused its demise and desolation in Ezekiel’s day. But it will once again be the dwelling place of God with His people, a true eternal home for the saints. So the name Jerusalem as used in the Scriptures becomes itself a metaphor for eternal, peaceful, and blissful life with God rather than a literal dwelling place on earth today.

This happy ending to the allegory, however, is not the only part of it that has meaning for us. The history of Jerusalem’s sin is very much a mirror for our own past state. When we sinned, we were turning against God who loves and cares for us; we made ourselves undeserving of His rescue. When we who without Him were lost and helpless, ignored Him and even openly rebelled against Him, imitating those we admired in the world, we acted no better than the harlot Jerusalem. We did not admire and imitate God’s Son.  Yet there was always hope for us, because God still loved us. No matter how far we degenerated, we were not too distant to be redeemed, if only by faith we would respond to God’s call. 

Mohanraj Israel, D.Min. Dean
School of Religion
Spicer Memorial College, Pune India

Renovarei a aliança que fiz com você, e você ficará sabendo que eu sou o Senhor!

Jerusalém, a cidade infiel
1 O Senhor falou comigo de novo. Ele disse:
2 — Homem mortal, mostre a Jerusalém as coisas nojentas que ela tem feito. 3 Diga a Jerusalém que o Senhor Deus lhe diz o seguinte:
— Você nasceu na terra de Canaã. O seu pai era amorreu, e a sua mãe era heteia . 4 Quando você nasceu, ninguém cortou o cordão do seu umbigo, nem lhe deu banho, nem esfregou sal em você, nem a enrolou em panos. 5 Ninguém teve dó bastante para lhe fazer qualquer uma dessas coisas. Quando você nasceu, ninguém gostava de você, e até a jogaram no mato.
6 — Então passei por perto e vi você rolando no seu próprio sangue. Embora você estivesse coberta de sangue, eu não deixei que morresse. 7 Eu a fiz crescer como uma planta sadia. Você cresceu forte e alta e ficou moça. Os seus seios se formaram, e os seus cabelos ficaram compridos, mas você estava nua.
8 — Quando passei de novo, vi que havia chegado o tempo de você amar. Então cobri o seu corpo nu com a minha capa e prometi amar você. Sim! Fiz um contrato de casamento com você, e você se tornou minha. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.
9 — Eu a lavei com água e limpei o sangue que a cobria. Passei azeite na sua pele. 10 Eu a vesti com roupas bordadas e lhe dei sapatos do melhor couro, um turbante de linho e uma capa de seda. 11 Eu a enfeitei com joias — pulseiras e colares. 12 Dei uma argola para o seu nariz, brincos para as suas orelhas e uma linda coroa para a sua cabeça. 13 As suas joias eram de ouro e prata, e você sempre usou vestidos bordados, de linho e de seda. Você comeu pão feito da melhor farinha e tinha mel e azeite à vontade. Você era muito bonita e chegou a ser rainha. 14 Em todas as nações falavam da sua beleza perfeita porque fui eu que a fiz assim tão linda. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.
15 — Mas você se aproveitou da sua beleza e da sua fama para dormir com qualquer um que passava . 16 Usou os seus vestidos para enfeitar os seus lugares de adoração e ali você se entregava a qualquer um, como uma prostituta. 17 Você pegou as joias de prata e de ouro que eu lhe tinha dado e com elas fez imagens de seres humanos; você foi infiel a mim, adorando essas imagens. 18 Você pegou os vestidos bordados que lhe dei e com eles vestiu as imagens e ofereceu a elas o azeite e o incenso que eu lhe tinha dado. 19 Eu lhe dei comida: a melhor farinha, azeite e mel, mas você ofereceu tudo isso como sacrifício para agradar os ídolos. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.
20 — Depois, você pegou os nossos filhos e as nossas filhas e os ofereceu como sacrifício aos ídolos. Será que não bastou que você tivesse sido infiel a mim? 21 Será que ainda precisou matar os meus filhos e oferecê-los em sacrifício aos ídolos? 22 Durante a sua vida miserável de prostituta, nem uma vez você lembrou da sua juventude, quando estava nua, rolando no seu próprio sangue.
Jerusalém, a prostituta
23 O Senhor Deus disse:
— Ai de você! Sim! Ai de você! Depois de ter feito todo esse mal, 24 você ainda construiu altares em todas as estradas para ali adorar ídolos e praticar a prostituição. 25 Você arrastou a sua beleza pela lama. E se ofereceu a todos os que passavam e se afundou cada vez mais na prostituição e na adoração de ídolos. 26 Você convidou os egípcios, seus vizinhos imorais, para que fossem para a cama com você, e por isso me deixou irado.
27 — Portanto, agora eu levantei a mão para castigá-la e para tirar a parte que você tinha na minha bênção. Eu a entreguei aos filisteus, que a odeiam e que estão com nojo das ações imorais que você tem praticado.
28 — Não satisfeita com tudo isso, você correu atrás dos assírios. Você foi prostituta deles, mas eles também não a deixaram satisfeita. 29 Depois, você serviu de prostituta para os babilônios, aquela nação de comerciantes, mas eles também não a deixaram satisfeita.
30 O Senhor Deus diz o seguinte:
— Você fez tudo isso como uma prostituta sem-vergonha. 31 Em todas as ruas, você construiu altares para ali adorar ídolos e praticar a prostituição. Mas você não faz isso por dinheiro, como uma prostituta qualquer. 32 Você é como a mulher que, em vez de amar o seu marido, comete adultério com estranhos. 33 A prostituta é paga, mas você deu presentes a todos os seus amantes e ainda lhes ofereceu lembranças para que viessem de todas as partes dormir com você. 34 Você é uma prostituta diferente. Ninguém a obrigou a se tornar prostituta. Você não recebe nada, mas paga! Sim! Você é diferente!
A condenação de Jerusalém
35 Por isso, agora, você, prostituta, escute o que o Senhor Deus diz. 36 E o que ele diz é isto:
— Você tirou a roupa, e como prostituta se entregou aos seus amantes e a todos os seus ídolos vergonhosos, e matou os seus filhos em sacrifício aos ídolos. 37 Por causa disso, eu vou reunir todos os seus antigos amantes, tanto os que você apreciava como os que detestava. Eu os colocarei ao seu redor, em círculo; então arrancarei a sua roupa, e eles verão você nua. 38 Eu a condenarei por adultério e assassinato e na minha ira e furor vou castigá-la com a morte. 39 Vou entregá-la a eles, e eles derrubarão os altares onde você se entregava à prostituição e onde adorava ídolos. Eles levarão as suas roupas e as suas joias e a deixarão completamente nua.
40 — Eles vão atiçar a multidão para apedrejá-la e com as suas espadas cortarão você em pedaços. 41 Eles destruirão com fogo as suas casas e deixarão que muitas mulheres vejam o seu castigo. Farei com que você deixe de ser prostituta, farei com que deixe de dar presentes aos seus amantes. 42 Aí o meu furor passará, e eu me acalmarei. Não ficarei mais irado, nem terei ciúmes. 43 Você esqueceu como eu a tratei quando era moça e me deixou irado com todas as coisas que fez. Foi por isso que a fiz pagar por tudo. Por que é que, além de todas as coisas nojentas que você fez, ainda foi imoral? Eu, o Senhor Deus, falei.
Tal mãe, tal filha
44 O Senhor Deus diz o seguinte:
— Jerusalém, os outros usarão este provérbio a respeito de você: “Tal mãe, tal filha.”
45 — De fato, você é a filha da sua mãe. Ela detestava o marido e os filhos. Você é como as suas irmãs, que odiavam os seus maridos e os seus filhos. Você e as cidades que são suas irmãs tiveram mãe heteia e pai amorreu .
46 — A sua irmã mais velha é Samaria, no Norte, com os povoados que ficam ao seu redor. A sua irmã mais moça, com os seus povoados, é Sodoma, no Sul. 47 Por acaso, você se contentou em seguir os passos delas e em imitar as coisas nojentas que elas fizeram? Não! Em pouco tempo, você se tornou mais imoral do que elas em tudo o que fazia.
48 — Jerusalém, juro pela minha vida — diz o Senhor Deus — que a sua irmã Sodoma e os povoados que ficam ao seu redor nunca pecaram tanto quanto você e os seus povoados. 49 Sodoma e as suas filhas eram orgulhosas porque tinham muita comida e viviam no conforto, sem fazer nada; porém não cuidaram dos pobres e dos necessitados. 50 Elas foram orgulhosas e teimosas e fizeram as coisas que eu detesto; por isso, eu as destruí, como você sabe muito bem.
51 — Samaria não cometeu a metade dos pecados que você, Jerusalém, cometeu. Você fez coisas ainda mais vergonhosas do que as suas irmãs Sodoma e Samaria fizeram. Elas até parecem inocentes quando a sua corrupção, Jerusalém, é comparada com a delas. 52 E agora você terá de suportar a sua desgraça. Os seus pecados são mais graves do que os das suas irmãs, tanto que elas até são inocentes em comparação com você. Agora, Jerusalém, fique envergonhada e aguente a sua humilhação, pois você faz com que as suas irmãs pareçam puras.
Sodoma e Samaria voltam a ser o que eram
53 O Senhor Deus disse a Jerusalém:
— Vou trazer progresso de novo para as suas irmãs: para Sodoma e os povoados que ficam ao seu redor e para Samaria e os seus povoados. E vou fazer com que você também prospere. 54 Você terá vergonha de você mesma, e a sua desgraça mostrará às suas irmãs que elas estão em muito boas condições. 55 De novo haverá progresso para elas, e você e os seus povoados também serão reconstruídos. 56 No seu orgulho, você zombou de Sodoma, 57 antes de ser descoberto o mal que você fazia. Agora, você se tornou igual a Sodoma: zombam de você os edomitas, os filisteus e os seus outros vizinhos que a odeiam. 58 Você precisa sofrer pelas coisas imorais e vergonhosas que fez. Eu, o Senhor, falei.
Uma aliança para sempre
59 O Senhor Deus diz:
— Jerusalém, eu a tratarei como merece, pois você quebrou as suas promessas e não respeitou a aliança. 60 Mas eu manterei a aliança que fiz com você na sua mocidade e farei com você uma aliança que durará para sempre. 61 Você lembrará do que fez e ficará envergonhada de receber de volta a sua irmã mais velha e a sua irmã mais moça. Eu as darei a você como se fossem filhas, embora isso não fizesse parte da nossa aliança. 62 Renovarei a aliança que fiz com você, e você ficará sabendo que eu sou o Senhor. 63 Eu perdoarei todas as coisas más que você fez, porém você lembrará delas e ficará envergonhada demais para dizer qualquer coisa. Eu, o Senhor Deus, falei.

Comentário devocional:

Neste capítulo temos a mais longa alegoria de toda a Bíblia. A prostituição é a metáfora mais frequente nesta alegoria e, através dela, a infidelidade de Jerusalém ao Senhor é comparada à imoralidade de uma prostituta. A figura da prostituta, espiritualmente falando, é recorrentemente usada no Antigo Testamento para se referir à prática de Israel de seguir a outros deuses. Palavras como prostituição, promiscuidade, lascívia, depravação, imoralidade, são usadas muitas vezes neste capítulo para descrever a falta de fidelidade de Judá a Deus. 

A história de Jerusalém, narrada como um conto figurativo de uma menina que nasce e cresce até a maturidade, é apresentada para expor os pecados de Israel. Esta menina não havia nascido em uma família carinhosa normal*; não havia recebido os cuidados que um recém nascido obtinha no antigo Oriente Médio (v. 3-5). Cortar o cordão umbilical, a lavagem com água, esfregar com sal, envolvimento com panos – eram práticas de parteiras palestinas que têm sido observadas entre os camponeses árabes modernos. 

Depois de estabelecer a Sua aliança, o Senhor transformou Jerusalém de uma existência marginalizada a uma propriedade real (banhada, vestida, adornada, v. 9-11), apta a ser uma rainha (v. 13). A fama de Jerusalém se espalhou entre as nações, o que aponta para o esplêndido reinado de Israel na época de Salomão. Entretanto, confiou em sua formosura e se entregou à imoralidade espiritual (v. 15-59), a ponto de se tornar mais depravada que Sodoma e Samaria (v. 46-48).

Por incrível que pareça, apesar da longa história de maldade de Jerusalém, a alegoria deixa claro que Deus não a rejeitará para sempre (v. 60-63). Seu cativeiro vai acabar e Deus vai honrar sua antiga promessa de restabelecer a Sua aliança com ela, torná-la pura novamente, protegê-la e elevá-la. Israel será perdoado e declarado justo novamente.

A alegoria aponta também para o fato de que, além da restauração de Jerusalém, Deus um dia perdoará muitas outras pessoas de seus pecados, e que Ele acabará por estabelecer uma existência onde a justiça prevaleça e a rebelião contra Ele não mais existam.

É encorajador perceber que, se estamos em Cristo, já vivemos nessa “aliança eterna”. Nosso futuro lar é a Nova Jerusalém, que vamos alegremente habitar em cumprimento desta promessa de fidelidade da parte de Deus. Lá não haverá nenhuma das abominações – arrogância, materialismo, idolatria – que causaram morte e desolação (espiritual e literal) nos dias de Ezequiel. Mas será novamente a morada de Deus com o Seu povo, um verdadeiro lar eterno para os santos. 

Este final feliz para a alegoria, entretanto, não é a única parte que tem significado para nós. A história do pecado de Jerusalém é também um espelho do nosso próprio estado passado. Quando pecamos, estávamos nos voltando contra Deus, que ama e cuida de nós; nos fizemos indignos de Seu socorro. 

Quando O ignoramos e até mesmo nos rebelamos abertamente contra Ele, imitando aqueles que admirávamos no mundo, não agimos melhor do que a prostituta Jerusalém. Fizemos assim porque não admiramos e imitamos o Filho de Deus. 

No entanto, sempre houve uma esperança para nós, porque Deus ainda nos ama. Não importa quanto tenhamos nos degenerado, nunca estamos tão longe que não possamos ser resgatados, bastando responder pela fé ao chamado de Deus.

Pr Mohanraj Israel
Universidade Spicer, Índia